Google cria ferramenta para avaliar qualidade dos ISPs em transmissões de vídeo

Um novo serviço da Google, disponível inicialmente apenas no Canadá, usa o YouTube para medir a largura de banda entregue pelos provedores de acesso à Internet (ISP).

No site Video Quality Report os usuários serão capazes de ver como a rede de um ISP funciona em uma região específica. Ao contrário de outros testes de desempenho, o Video Quality Report não apresenta o valor de megabits por segundo mas uma de três classificações: HD Verified, Standard Definition e Lower Definition.

A primeira, HD Verified, significa que os usuários são capazes de ver vídeos em alta definição (pelo menos a 720p), com tempos de carregamento rápidos na maioria das vezes. Para obter essa classificação, o provedor tem que prover a velocidade necessária (acima dos 2,5Mbps) em pelo menos 90% das ocasiões.

As outras duas classificações _ Standard Definition e Lower Definition _  significam que os usuários podem ver vídeos em definição normal (pelo menos 360p) com tempos de carga moderada ou com uma resolução abaixo dos 360p. Os vídeos também vão carregar mais lentamente e podem parar para re-começar em redes com banda mais baixa.

A classificação para um ISP pode ser dividida por critérios de tempo – por exemplo, hora, dia ou semana -, bem como critérios geográficos. O objetivo da Google é apresentar uma classificação “significativa, de fácil compreensão e que reflita de perto a experiência da Internet no mundo real”, disse a empresa.

As avaliações têm em conta um volume muito grande de usuários em uma determinada área. A Google afirmou que só irá mostrar os resultados de uma área geográfica grande o suficiente para ter uma grande quantidade de usuários, e enfatizou que todas as amostras são anônimas e nenhuma informação pessoal será armazenada ou usada.

O momento do anúncio é interessante: poucos dias apóse um tribunal de recurso dos EUA desautorizar as regras de neutralidade de rede da Federal Communications Commission. Apesar do Video Quality Report ainda não estar disponível nos EUA, o serviço pode, eventualmente, funcionar como um impedimento para os ISPs tentados a dar prioridade às suas próprias ofertas de vídeo na Internet, e prejudicar deliberadamente as transmissões do YouTube.

A empresa não deu detalhes sobre quando a ferramenta estará disponível para usuários de fora do Canadá. Por enquanto, o site diz apenas que “os resultados da sua localização ainda não estão disponíveis” quando se tenta usá-lo a partir de outros países, como o Brasil.

Ministério das Comunicações publica Decreto n° 8.061 que altera o Decreto nº 5.820, de 29 de junho de 2006, e dá outras providências..
documento
WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux